O QUE SÃO OS CHAKRAS ?

«A bateria do corpo humano não é alimentada somente do alimento material (pão), mas também da energia cósmica vibratória (o Verbo – da Bíblia  ou AUM). O poder invisível flui no corpo humano através da porta do medula oblongada (bulbo raquiano). Este sexto centro corpóreo é localizado na nuca, no topo dos cinco chakras espinhais (palavra sânscrita que indica “roda” ou centros aos quais se irradia a força vital). O bulbo raquiano é o principal ponto de acesso através o qual o corpo vem alimentado com a força vital universal (AUM) e é diretamente ligado à força de vontade do ser humano, concentrado no sétimo centro, ou centro da consciência Crística (Kutastha), localizado no terceiro olho entre as sobrancelhas». 

«Esta energia cósmica, que é a mesma energia com a qual vocês foram criados e tudo o que existe no Universo, circunda e permeia toda a criação, dentro e fora, todo o tempo. Essa energia entra através da ‘boca de Deus’ (o bulbo raquiano] e é o Verbo invisível [AUM], que sustenta cada forma de vida».

Paramahansa Yogananda

Chakra significa “roda” ou “vórtice”; e são pontos específicos localizados em todo o nosso corpo energético sutil (com correspondência no corpo físico) onde a energia (e a consciência) ou “prana” se acumula. 

O nosso corpo energético – que é nada mais do que uma forma mais sutil e invisível ao olho físico do nosso corpo material e visível – contém mais de 72.000 “nadi” ou canais sutis, por onde passa e flui a energia, a consciência,  a força vital – a própria vida, ou como preferires chama-la. Quando estas “nadis” estão bloqueadas, a energia não flui bem e é quando nos adoecemos e acontecem os desequilíbrios  psicofísicos – espirituais.

As “Nadis” se cruzam uma com a outra, formando pontos fortes energéticos , chamados “chakra”. Existem muitos “chakras” em todo o nosso corpo, alguns importantes nas mãos e nos pés, entre um peito e o outro e entre uma orelha e a outra formando “linhas energéticas”. 

Os “chakras” mais importantes e que influenciam todo o corpo energético são localizados onde se encontram as “nadis” lunar e solar: Ida e Pingala, que estão no lado esquerdo e direito da coluna vertebral astral; passando onde se formam os 6 centros psíquicos energéticos mais conhecidos e influentes. 

“Ida nadi”, o canal lunar, mental - “Manas Shakti”, localizado no lado esquerdo, sobe movendo-se pelo lado direito e “Pingala Nadi” , o canal solar, vital - “Prana Shakti” passa do lado direito para o lado esquerdo, e se cruzam na zona do cóccix (muladhara chakra),  sacral (swadhistana chakra), lombar (manipura chakra), dorsal (anahata chakra), cervical (visshudda chakra), medula oblongata  e centro da testa (agya chakra – o ajna chakra).

Sahasrara chakra (séttimo) e  a Aura, não tem correspondentes físicos e não são associados a nenhuma  “nadi” particular, mas a todo o campo magnético, energético e de Consciência. 

Quando “ida” e “pingala” se equilibram, todos os chakras principais se harmonizam e “trabalham” em modo perfeito –  todo o corpo energético - e de consequência o corpo físico e a mente entram em conexão com a Alma Divina. Isso acontece porque o canal energético central chamado “sushumna nadi” se ativa, despertando o “Maha Prana” – ou Grande Prana, conhecido também como a Energia Espiritual “Kundalini” – que tudo purifica, cura e ama. Por isso, a “sushumna” vem chamada também de “Atma Shakti” – “Atma” significa “Alma” ou “Consciência de Deus, individualizada”; e “Shakti” significa “Energia da Mãe Divina”.

Então, podemos dizer, com certeza, que para poder ter uma vida em saúde em todos os pontos de vista, para viver e ser no bem- estar e para a Verdadeira Felicidade – de realização desde o campo material até às Realizações mais sutis de despertar espiritual; os ‘Chakras” são muitíssimo importantes, podemos dizer: essenciais,  e que sem estes, nada pode funcionar bem.

Estas são os 7 portas do Paraíso do texto bíblico – as portas de volta à Verdadeira Casa; a partir do trabalho interior destes centros, nos reconhecemos como Almas Livres - Consciências Individualizadas de Deus que habitam temporariamente em um corpo físico finito. Esta realização experiencial nos doa Alegria, Luz, Paz e Felicidade duradoura no Amor.

MULADHARA CHAKRA 

MULA significa raíz, fundações, MULADHARA, significa “o sustento da base”. É localizado em correspondência física entre o ânus e os genitais, ali onde a energia espiritual “Kundalini” é chamada de torcida e adormecida. Esta, quando adormecida, nos faz acreditar na ilusão cósmica - “Maya” e nos faz identificar com o próprio corpo. 

Muladhara é o chakra do elemento terra, de cor curativa vermelha e do sentido do olfato. As glândulas correspondentes são as gônadas.

Fisicamente tem a ver com os ossos de todo o corpo, com o ânus e o períneo, e todas as partes inferiores do corpo – as pernas e os pés. 

Quando este chakra é em equilíbrio temos saúde física, vitalidade, ficamos centrados no Ser, e temos um senso de aterramento e equilíbrio. A nossa natureza é ser honestos (satya) e temos auto-confiança e fé na vida. Muladhara em equilíbrio nos faz vir espontâneo o primeiro ‘membro’ de Patanjali – Yamas (ahima – não-violência, satya – verdade, asteya – não roubar, brahmacharya – moderação no uso da energia sexual e aparigraha – não- ganância). 

Quando este centro psíquico é  fraco  nos falta estabilidade e nos sentimos sem força, em articular modo, fisicamente. É possível que não seja fácil encontrar trabalho, por exemplo, ou seja difícil ganhar o bastante para viver. 

Quando muladhara è,  digamos, em excesso, somos particularmente apegados aos pertences, às coisas, ao corpo físico e à própria vida. 

Este é o  chakra da sobrevivência, do ‘pertencer’ e do direito de estar aqui na terra. Mas também tem a ver com a eliminação de tudo aquilo que não serve mais (apana).

Neste centro se localiza o primeiro granthi (ou cadeado); onde tem há o bloqueio do apego à matéria.

O Beej Mantra (mantra sêmen) deste chakra é  “LAM” e como sempre o “OM” também. Outro mantra eficaz é “Deus e eu, eu e Deus somo Um.”

Para equilibrá-lo podemos repetir o seu Beej mantra mentalmente, contraindo por alguns segundos o músculo do períneo e visualizar, neste ponto, uma flor de lótus de cor vermelha com 4 pétalas que antes estavam voltadas para baixo;  e que se abrem para cima. Depois de repetir o mantra e de visualizar - fique imóvel na posição meditativa, com o olhar entre as sobrancelhas em “Kutashta”;  sentindo as qualidades de “Muladhara”, da firmeza e da imobilidade das rochas, da sabedoria e da estabilidade. 

Os exercícios típicos para equilibrar Muladhara chakra são as posições em pé e de equilíbrio; mas também ‘pashmottanansa’ e os alongamentos para frente, assim como ‘Halasana’. Ajudam a re-equilibrar muladhara também as posições sentadas sobre os calcanhares como ‘vajrasana’ e ‘virasana’; e ativar mulabandha (a contração dos esfínteres). O exercício do sapo ou da rã do ‘Kundalini yoga’ trabalha muladhara e svadhisthana chakras.

A visão interior deste chakra vem manifestado como um quadrado amarelo e o som que se escuta é aquele de uma abelha ou um besouro.

Verbo: ter , “eu tenho”.

 

SVADHISTHANA CHAKRA

Svadhisthana significa “doçura” e é o chakra da fluididade, da flexibilidade, do nutrimento; localizado atrás dos órgãos genitais, na zona sacral (não a caso chamada “sacra-l” - sagrada, é um ponto energético onde se acumula muito do nosso karma pessoal e dos nossos sentimentos: “chitta” .

O seu elemento é a água, de cor curativa laranja e do sentido do paladar. As glândulas correspondentes são os rins e os adrenais.

 

Fisicamente é responsável pelas funções dos rins, dos adrenais, dos órgãos sexuais e de todo o  sangue e a linfa – ou seja, nos órgãos que tem a ver com o líquido em nós. 

Este chakra tem a que ver com a energia sexual e do relacionamento em casal. É deste centro psíquico que chega a capacidade de sentir as emoções.

Quando está em equilíbrio, nos faz sermos alegres e bem humorados conosco mesmos, nos aceitando como somos – nos deixando  fluir na vida, sem culpas passadas ou preocupações futuras. Nos vem natural e espontâneo o segundo  ‘membro’ de Patanjali – niyamas (saucha –pureza , santosha – contentamento, tapas – disciplina, svadhyaia – estudo do ser e das escrituras) e Isvara Pranidhana (entrega ao Senhor do Universo).

Quando è fraco, podemos ficar frígidos, tímidos e pouco sensíveis; e ter problemas com os órgãos relacionados à este chakra.

Quando está em excesso, podemos querer doces excessivamente, ser exageradamente sexuais na linguagem e no comportamento ou ser exibicionista. 

É um chakra associado a vyana vayu – este tipo de prana que se manifesta em toda a circulação do corpo. Esta força vital permeia todo o corpo, e age como reserva de energia, sustentando todos os outros tipos de ‘prana’ que precisam de suplemento. Ele regula e coordena todos os movimentos dos outros ‘prana’.

O Beej Mantra deste chakra é “VAM” ou “OM”.  E também “Narayan” e todas as suas variações. 

Para equilibrá-lo podemos repetir o seu Beej mantra mentalmente, contraindo por alguns segundos o músculo dos órgãos genitais e visualizar, neste ponto, uma flor de lótus laranja com 6 pétalas que antes se virava para baixo, mas que se está abrindo para o alto. Depois disso, fique imóvel em posição meditativa, com o olhar entre as sobrancelhas, em “Kutashta”; sentindo as qualidade de “Svadhisthana”, da flexibilidade, da mobilidade da água, do deixar-se ir e da fluidez. 

 

Os exercícios yoga típicos de ‘Svadhisthana chakra’ são as posições de abertura do quadril e de flexibilidade em geral;  os alongamentos para frente e as torsões deitadas no chão. Este chakra se equilibra também através das posições sentadas à terra como vajrasana e virasana; e ativando mulabandha (a contração dos esfínteres). O exercício do sapo ou da rã, de Kundalini yoga, trabalha  seja para muladhara que para svadhisthana. 

A visão interior deste chakra vem manifestado como uma meia lua branca e o seu som, como de uma flauta ou de muitos grilos numa floresta à noite. 

Verbo: sentir, “eu sinto”.

MANIPURA CHAKRA

MANIPURA significa  “a cidade das jóias”. É localizado em correspondência física atrás do umbigo, na zona lombar da coluna e no plexo solar. 

Manipura é o chakra do elemento fogo, de cor curativa amarela e do sentido da vista. A glândula correspondente é o pâncreas.

Fisicamente tem a ver com os músculos de todo o corpo, o abdômen  e todos os órgãos digestivos. 

Quando este chakra é em equilíbrio temos muita energia e resistência, somos focalizados e com imensa força de vontade, temos maior facilidade à disciplina e uma grande auto-estima assim como estima aos outros. Nos vem natural e espontâneo  a prática do terceiro membro de Patanjali – as posições yogicas psico-físicas – asana. 

Quando este centro é fraco nos sentimos facilmente manipulados e mais fracos (como personalidade). É possível que não encontramos energia para agir nos planos que havíamos e temos pouco sucesso na vida. 

 

Quando é em excesso, somos particularmente poderosos sobre os outros com tendências a manipular aqueles mais fracos. O nosso ego e senso de importância aumenta. Podemos até ser pessoas de força, de sucesso e exuberância, mas não reconhecemos facilmente o valor dos outros: nos falta a humildade. 

 

É o chakra da força, da energia, da transformação, da disciplina (tapas) e da assimilação (samana vayu).

 

O Beej Mantra (mantra semente) deste chakra é o Mantra “RAM” e como sempre também o “OM”. Mas também o mantra “Har” e as suas variações. 

Para equilibrá-lo podemos repetir o seu Beej mantra mentalmente, contraindo por alguns segundos os músculos do abdômen, e visualizar naquele ponto uma flor de lótus amarela com 10 pétalas que estava voltada para baixo, mas que se vira para cima, abrindo-se. Depois disso, fique imóvel em posição meditativa com a coluna reta, olhando entre as sobrancelhas em “Kutashta”;  sentindo as qualidades de “Manipura”, da potência, brilho, do guerreiro da Luz e da transformação. 

 

Os exercícios yoga típicos de Manipura chakra são todas as posições que fortalecem os abdominais como por exemplo, a posição do barco (navasana), as posições de força nos braços (que sempre envolvem também os músculos abdominais e a coluna baixa lombar) e todos os alongamentos para frente. Também, exercícios como Uddiyana Bandha (retração do abdômen a pulmões vazios) e respiros dinâmicos como kapalabhati ou respiro do fogo podem ajudar a despertar a energia dos primos chakras através do fogo de manipura.  

 

A visão interior  deste chakra vem manifestado como um triângulo vermelho e o som como o som de uma harpa. 

Verbo: Poder, “eu posso”.

ANAHATA CHAKRA 

ANAHATA significa “som não batido ou não produzido”, porque quando nos focalizamos neste centro, podemos sentir uma vibração sutil e escutar o som do mantra “Aum” chamado “anahat naad” .  É localizado em correspondência física no ponto entre os omoplatas e vem chamado também “o chakra do coração”. 

Anahata è o chakra do elemento ar, de cor curativa verde esmeralda e do sentido do tato. A glândula correspondente é a timo.

 

Nesta ‘roda’  (junto a Manipura) está localizado Vishnu Granthi –  o bloqueio e nó de apego às emoções e às relações de afeto.

 

Fisicamente tem a que ver com as vértebras dorsais e a parte alta das costas, os omoplatas, os ombros, os braços e as mãos; com o coração e os pulmões. 

 

Quando este chakra é em equilíbrio temos um respiro amplo e completo, o coração, os pulmões e a parte alta do corpo estão em perfeito estado saudável e equilibrado. Temos um senso de calma e de paz, paciência; maior facilidade de perdão e equanimidade aos menos virtuosos. Temos um senso de compaixão aos menos favorecidos e somos felizes com a felicidade dos outros – reconhecendo que todos são um reflexo nosso. Temos um senso de amizade por todos! O Amor Incondicionado nos vem natural, assim como o serviço altruísta: doar sem nenhuma expectativa, em total humildade e alegria. Somos devocionais e com facilidade ao ‘inclinar-se reverencialmente’. Nos vem espontâneo e natural o quarto membro de Patanjali, o “Pranayama” – controle e expansão do prana – da energia vital.

 

Quando este centro psíquico é fraco somos tendencialmente fechados ao amor e ao compartilhar, com dificuldade de doar e também de receber. Fisicamente os ombros se fecham e sentimos um senso de ‘recusar o outro’. 

 

Quando é em excesso, somos particularmente abertos, e sem algum discernimento, nos doamos completamente. E, se feridos, sentimos um sofrimento exageradamente forte, porque não somos desapegados, mas completamente envolvidos e identificados com as emoções. Somos hiper-sensíveis – e estes altos e baixos exagerados provocam desequilíbrios a  nível energético e espiritual.

 

Este é o chakra que vai além das divisões, em direção ao sempre mais sutil. Anahata é o centro do Amor, da compaixão, do perdão e do serviço humilde sem expectativas (karma yoga). O centro da generosidade, assim como da gentileza. 

 

Este centro é da inspiração, do dar e do receber, da energia de absorção, que cristaliza (prana vayu).

O Beej Mantra (mantra semente) deste chakra é o Mantra “YAM” e como sempre o “OM”. Também purifica anahata, o Mantra “Om namah Shivaya” e “Ra Ma Da Sa”. Estes abrem o coração e o curam.

Para equilibrá-lo podemos repetir o seu Beej mantra mentalmente, contraindo por alguns segundos o ponto entre os omoplatas e visualizar, naquele ponto, uma flor de lótus verde com 12 pétalas que estavam voltadas para baixo; mas que se abrem para o alto. Depois disso, fique imóvel em posição meditativa, com o olhar entre as sobrancelhas em “Kutashta”;  sentindo as qualidades de “Anahata”, da capacidade de doar, de ver no outro – ti mesmo. A capacidade de amar puramente sem pedir nada em troca. 

 

Os exercícios yoga típicos de Anahata chakra são as posições de abertura do tórax e todos os backbending ou formação de arcos das costas. Também as posições onde usamos os braços e as vértebras dorsais assim como todos os exercícios de “pranayama” de respiração, principalmente aqueles feitos com a respiração longa e profunda. Para o coração físico e a circulação, ajudam muito também as posições de elevação das pernas. 

 

Todos os cantos devocionais abrem sobretudo anahata chakra – a devoção e o amor natural do coração, tão necessários para entrar na superconsciência ou  samadhi – estado Yoga de União no Divino, come diz o Grandíssimo Mestre Swami Sri Yukteswar.

 

A visão interior deste chakra vem manifestado como uma esfera azul e o som que se escuta é aquele de tantos sinos juntos ou aquele de um gong.

 

Verbo: Amar, “eu amo”.

VISSHUDDHA CHAKRA

VISSHUDDHA significa “o puríssimo” . Aqui, já começa a elevação da energia mais sutil e um estado de purificação mais profundo. É localizado em correspondência física na garganta e atrás da garganta nas vértebras cervicais. 

Visshuddha é o chakra do elemento éter, espaço, do vazio, de cor curativa azul claro turquês e do sentido da audição. As glândulas correspondentes são a tiróide e a paratiróide.

Fisicamente tem a ver com a garganta, as cordas vocais, as vértebras cervicais e o pescoço, assim como as clavículas, o peito e os braços.  

Quando este chakra é em equilíbrio temos uma grande liberdade de expressar a criatividade Divina do nosso Verdadeiro Ser. O seu equilíbrio nos faz sentir guiados – este  é o chakra do professor. Nos faz ter uma saudável capacidade de comunicar e de falar o que é certo, no momento perfeito e nos doa o dom em escutar o outro e de perceber as mensagens além das palavras e dos gestos. Nos vem espontâneo e natural o quinto membro de Patanjali – Pratyahara, o retiro dos sentidos de fora para dentro. 

 

Quando este centro psíquico é mais fraco as nossas palavras se bloqueiam, nos sentimos pequenos, tímidos e incapazes. Podemos desenvolver por exemplo o hipotireoidismo e a preguiça.  

Quando é em excesso, somos particularmente ativos, falamos muito e os projetos são tantos, não conseguimos dizer não às pessoas e trabalho, somos sempre disponíveis e podemos desenvolver o hipertiroidismo e a hiper atividade.  

 

Este é o chakra da calma, da expansão e da criatividade. Podemos dizer que o “prana vayu” -  relacionado ao quinto chakra é `udana vayu´ - esta força vital que regula os nossos órgãos expressivos: as pernas, os braços e a cabeça.

 

O Beej Mantra (mantra semente ou sêmen) deste chakra é o Mantra “HAM” e como sempre o “OM”. Outros Mantras que trabalham visshudha são por exemplo: “ek ong kar sa ta na ma siri wa (uh) hay guroo”.

 

Para equilibrá-lo podemos repetir o seu Beej mantra mentalmente, contraindo por alguns segundos o músculo do pescoço, e visualizando, neste ponto, uma flor de lótus azul com 16 pétalas que estava virada para baixo; mas que se abre para o alto. Depois disso, ficamos imóveis em posição meditativa, com o olhar entre as sobrancelhas em “Kutashta”; sentindo as qualidades de “Visshuddha”: a leveza, a expansão, a purificação, a Verdade e a comunicação. É o chakra da expressão da alma pura e Criativa. 

Este centro quando em equilíbrio nos faz dizer com clareza o que é necessário e escutar os outros com atenção. É também a partir de visshuddha que desenvolvemos a qualidade da Calma e da sensibilidade à energia sutil.  

 

Os exercícios yoga típicos de Visshuddha chakra são as posições invertidas sobre os ombros -sarvangasana, e todas as suas variações; e todas as posições e exercícios que fecham ou abrem a garganta – como matsyasana, o peixe.  Se ativa este centro energético também com os exercícios onde movimentamos cabeça e ombros, assim como a recitação de mantras em geral e a ação de ensinar – por si – já equilibra visshuddha chakra. 

A visão interior deste chakra vem manifestado como pequenas faíscas de luz com o fundo de cor fumaça e o som que escutamos é aquele do vento que passa entre as árvores ou o som do oceano.

 

Verbo: Comunicar, “eu comunico” ou Criar “eu crio”

AJNA CHAKRA

AJNA significa “perceber, comandar”.  É localizado em correspondência física em dois pontos, considerado o pólo negativo e o pólo positivo: o bulbo raquiano ou medula oblongada (pólo negativo e onde habita o ego) e no ponto entre as sobrancelhas (pólo positivo e onde habita a alma, ou Verdadeiro Ser). 

 

Ajna é o chakra que vai além dos elementos e é onde habita a consciência Crística ou de Krishna, escondida na criação. Este chakra é de cor curativa lilás e da visão espiritual, dos poderes extra sensoriais.  A glândula correspondente a ajna é a pituitária.

 

Neste centro (junto a vissuddha) está localizado o Rudra Granthi – o nó de apego às visões e aos poderes espirituais. 

 

Fisicamente tem a que ver com a cabeça, as orelha e com os olhos, sobretudo. 

Quando este chakra está em equilíbrio temos a capacidade de ver e sentir além das palavras, das ações e da matéria. O seu equilíbrio faz com que sejamos inteligentes e sensíveis, temos fé e um saudável desapego de tudo o que é impermanente.

 

Desenvolvemos um ótimo discernimento da nossa Verdadeira Natureza e do conhecimento dado pela experiência interior de não ser o corpo ou a mente ou a personalidade, mas de sermos almas infinitas que habitam temporariamente num corpo denso e que utiliza temporariamente uma mente. Assim conseguimos a nos relacionar com e no mundo em modo equilibrado, mas sem ser dependentes deste para nossa felicidade. Com o equilíbrio de ajna nos vem espontâneo o sexto membro de Patanjali: “Dharana” – a concentração firme e imóvel em um ponto; e que nos conduz naturalmente a  “Dhyana” ou a meditação, o sétimo membro de Patanjali.

 

Quando este centro psíquico é fraco, ficamos confusos e judiciosos. Ficamos cheios de dúvidas e cépticos a tudo o que tem a que ver com a espiritualidade e o mundo sutil. Podemos ter pouca memória, pouca vontade de aprender e o intelecto não funciona no seu máximo. Com este centro energético com pouco estímulo, pode nos dar a tendência ao bipolarismo, à depressão e outros problemas de natureza psicológica.  

 

Quando este centro trabalha em excesso, podemos ter a tendência híper- intelectualismo, à especulação sobre tudo o que tem a ver com a busca espiritual. Podemos até ser sinceramente interessados à Sabedoria Divina, mas ao mesmo tempo podemos nos transformar no que o Mestre Yogananda chamava de “the shoppers” – ou seja, aqueles devotos de vários caminhos da Verdade, mas que não aprofundam nunca um deles. 

 

Ajna chakra tem dois pólos (como, na verdade todos os chakras); mas em “ajna” este detalhe é muito importante porque o bulbo raquiano (parte posterior da nuca, o ponto côncavo atrás da cabeça) representa o ego, ou a consciência identificada com o corpo e os sentidos (polo negativo) - e  o olho espiritual, entre as sobrancelhas, representa o olho de Shiva, ou seja, do Ser profundo e verdadeiro, o aspecto do Divino que destrói toda a ignorância e que observa tudo do alto, com desapego e Amor ao mesmo tempo (polo positivo). 

Este é, então, o chakra da visão interior, do Verdadeiro Conhecimento que vai além do intelecto, mas dado por uma experiência espiritual profunda 

O Beej Mantra (mantra semente) deste chakra é o Mantra “OM”. Também todos os mantras para Shiva e no Kundalini Yoga “Sa Ta Na Ma” e “Ajai Alai”.

Para equilibrá-lo podemos repetir o seu Beej mantra mentalmente, franzindo a testa ligeiramente por alguns segundos e visualizando, no ponto no meio da testa, uma flor de lótus de cor índigo (lilás) com 2 pétalas que representam a não dualidade. Vamos visualizar esta flora brindo-se para cima. Depois de visualizar, ficamos imóveis na posição meditativa, mantendo o olhar no terceiro olho em “Kutashta”; sentindo as qualidades de “Ajna”: a abertura ao desconhecido, à fé, à abertura mental da visão do invisível e ao desenvolvimento da sensibilidade extra-sensorial. 

 

Os exercícios yoga típicos de Ajna Chakra são “Shambavi Mudra” – o gesto de Shiva, ou seja, olhar fixamente no olho espiritual; respirações longas e profundas e as meditações com ou sem mantra. Também todas as posições invertidas como o cachorro com a cabeça para baixo (Adho Mukha Svanasana), a posição da vela (sarvangasana); e todas as posições a testa apoiada no chão como a da criança (balasana), ou a posição do pombo (eka pada rajakapotasana). 

 

A visão interior deste chakra vem manifestada com um anel dourado maravilhoso (representando o corpo astral), dentro deste anel, a cor intensa azul escura (representando o corpo causal); e no meio deste ‘céu azul’, uma estrela brilhante branca de cinco pontas (representando o corpo transcendental). 

 

Verbo: Ver, “eu vejo”

SAHASRARA CHAKRA 

SAHASRARA significa “muitas milhares de vezes por mil” e vem conhecido como o chakra da coroa, ou das mil pétalas porque deste centro se iniciam as mil “nadis” ou canais sutis (que se encontram com as 72 que iniciam no ponto do umbigo, formando 72 mil nadis em todo o corpo). Este chakra é localizado em correspondência física ao topo da cabeça e quando liberado e aberto, nos doa um senso de proteção e acolhimento do Alto do nosso Ser, no Ser Supremo. 

Sahasrara é uma roda além dos elementos e além dos sentidos externos; é possível percebê-lo a partir de um estado de consciência muito elevado e de total não identificação com a matéria. A sua cor curativa: roxa ou branco. A glândula correspondente é a epífise e a pineal.

Fisicamente tem a que ver com o topo da cabeça, com o sistema nervoso e a mente intelectual e além desta. 

 

Quando este chakra está em equilíbrio temos calma e discernimento, somos capazes de canalizar o Divino e nos identificamos com Ele, reconhecendo de fazer parte Deste. Sahasrara em equilíbrio significa também boa memória, criatividade e expansão de consciência. Nos vem espontâneo a meditação (dhyana) e o último membro de Patanjali: Samadhi – União com e em Deus; imersão no Verdadeiro Único Ser. 

 

Quando este centro psíquico é fraco falta a estabilidade mental e nos sentimos confusos. Podemos  nos sentir cansados e preguiçosos, sem energia… Podemos também ter problemas muito sérios de saúde mental como a esquizofrenia e a depressão grave. 

 

Quando é em excesso, somos particularmente agitados e sem conexão com o corpo (isso ocorre em excesso ou com fraqueza).

Este é o chakra da União Divina, da abertura mental e da expansão de Consciência. Do reconhecimento de Sermos Um no Ser Cósmico e de sentirmos parte de todos os seres.  

 

O Beej Mantra (mantra semente) deste chakra é o Mantra “AUM” e também o “Wahe Guru” – mas este chakra na verdade vai além das vibrações.

 

Para equilibrá-lo podemos repetir o seu Beej mantra mentalmente, concentrando-se no alto da cabeça, visualizando, neste ponto, uma flór de lótus branco ou roxa com mil pétalas que se abrem  para o alto e em cada direção. Depois disso, fique imóvel em posição meditativa, com o olhar entre as sobrancelhas em “Kutashta” e no alto da cabeça sentindo as qualidades de Sahasrara: da União com o Todo e com todos, da expansão de Consciência, do viver na Inteligência Cósmica e a partir Dela, da Sabedoria e do êxtase. 

 

Os exercícios yoga típicos de Sahasrara chakra são as posições invertidas como sirsasana (sobre a cabeça), Adho Mukha svanasana (o cachorro com a cabeça para baixo) e samsangasana (a lepre); todos os exercícios com os braços para cima e a meditação, de todos os tipos (sobretudo a verdadeira meditação transcendental). 

 

A visão interior é além das visões; é puro e vazio (um vazio pleno).

 

Verbo: Ser , “eu sou”.

A Aura – (ou o oitavo chakra, segundo Kundalini yoga)  

Aquilo que forma o nosso campo magnético; vem chamado, AURA. Esta envolve todo o corpo, e por isso podemos dizer que está “contém” todos os chakras. 

Quando a aura está fraca somos particularmente influenciados do mundo externo, do ambiente fora e dos outros e não do querer profundo Divino.  Adoecemos mais facilmente e somos mais propensos a crises nervosas. 

Quando funciona em equilíbrio, somos seguros na nossa Natureza Divina, somos almas livres ou “Jivamukti” e capazes de influenciar positivamente o ambiente externo, os outros e as situações que chegam nas nossas vidas a partir de um estado de Graça de Deus. Tudo flui e cura facilmente.

 

Entre os exercícios que fortalecem a aura podemos citar: a recarga energética de Yogananda, todos os exercícios de Kundalini Yoga e do Kriya Yoga, a meditação profunda, os mantras e as preces sagradas.

 

Uma visualização interessante para a aura é ver interiormente uma bola de luz dourada que envolve tudo o que existe e que se expande acolhendo cada ser.

 

Também fazer eventuais jejuns e purificações do corpo ajudam a manter a aura num estado de forte vibração positiva.

Meditaçao nos chakras

COMECE COM A COLUNA RETA E OS OLHOS FECHADOS OLHANDO ENTRE AS SOBRANCELHAS, O QUEIXO CENTRAL, OS OMBROS ABERTOS E RELAXADOS, A COLUNA ERETA E TODO O CORPO RELAXADO PROFUNDAMENTE. VOCÊ PODE ESTAR SENTADO NO CHÃO NUMA ALMOFADINHA DE MEDITAÇÃO, COM AS PERNAS CRUZADAS, OU NUMA CADEIRA, COMO PREFERIRES.

Faça UMA PRECE INICIAL, ASSIM COMO VEM ESPONTÃNEO PARA VOCÊ: POR EXEMPLO, VISUALIZANDO OS MESTRES DA TRADIÇÃO DO KRIYA YOGA, OU OUTROS MESTRES QUE VOCÊ SE SENTE EM SINTONIA, OU SIMPLISMENTE ABRINDO O SEU CORAÇÃO E A SUA MENTE AO MESTRE E GUIA INTERIOR, A DEUS E À CONSCIÊNCIA CÓSMICA ASSIM COMO VOCÊ SENTE MAIS PRÓXIMO A TI.

MANTENDO O OLHAR NO PONTO ENTRE AS SOBRANCELHAS, OBSERVANDO A RESPIRAÇÃO NATURAL DAS NARINAS, COMECE A SENTIR E VISUALIZAR UMA ENERGIA QUE PASSA DE MULADHARA A AJNA CHAKRA A CADA INSPIRO E DE AJNA CHAKRA A MULADHARA A CADA EXPIRO. 

DEPOIS DE ALGUMAS RESPIRAÇÕES NESTA Concentração, CONCENTRA EM MULADHARA E CONTRAI POR ALGUNS SEGUNDOS O PERÍNEO, DEPOIS RELAXA E VIBRA “OM” FAZENDO PULSAR ESTE MANTRA NESTE CENTRO ENERGÉTICO. OBSERVE, FIXANDO O OLHO ESPIRITUAL.

PASSE A SVADHISTANA, CONTRAINDO DOCEMENTE OS ÓRGÃOS GENITAIS E VIBRANDO MENTALMENTE “OM” COMO ANTES, E DEPOIS FIXANDO O TERCEIRO OLHO E SENTINDO O QUE OCORRE.

PASSE ENTÃO A MANIPURA, CONTRAINDO DOCEMENTE O ABDÔMEN E SEMPRE REPETINDO “OM” NESTE PONTO E SENTINDO-O A PARTIR DO OLHO DE SHIVA.

CONTRAIA DOCEMENTE O PONTO ENTRE OS OMOPLATAS EM ANAHATA E CONTINUE SEMPRE O MESMO PROCESSO DE CONCENTRAÇÃO, NO OM NAQUELE CENTRO E DEPOIS DO TERCEIRO OLHO.

CONTRAIA EM SEGUIDA, DOCEMENTE, A GARGANTA. CANTE “OM” MENTALMENTE E MANTENDO SHAMBAVI MUDRA (CONCENTRAÇÃO NO OLHO ESPIRITUAL), SINTA O CHAKRA.

DEPOIS, CONTRAIA LEVEMENTE O CENTRO DA TESTA E VIBRE “OM” MENTALMENTE NESTE CENTRO. FIQUE ALI, SENTINDO O “OM” VIBRAR TAMBÉM NO TOPO DA CABEÇA E EM CADA CÉLULA, SE EXPANDINDO SEMPRE MAIS EM UMA VIBRAÇÃO SEMPRE MAIS PODEROSA DE LUZ CLARA, BRANCA, DE PREFERENCIA.

MANTENHA-SE, DEPOIS, POR ALGUNS MINUTOS EM SILÊNCIO E SENTINDO FAZER PARTE DA VIBRAÇÃO PRIMORDIAL DE AMOR. 

TERMINE COM UMA PRECE UNIVERSAL CANTANDO A VOZ ALTA AO MENOS 3 VEZES LONGOS “OM” DESEJANDO O BEM SUPREMO, O AMOR, A PROSPERIDADE, A ALEGRIA, A SAÚDE E A REALIZAÇÃO SUPREMA DE CADA SER.            

Com infinito Amor, Raquel 

premakriyayoga.it.br@gmail.com

www.premakriyayoga.com.br

WHAT ARE THE CHAKRAS?

"The battery of the human body is not only fed with material food (bread), but also with vibratory cosmic energy (the Word or AUM). The invisible power flows into the human body through the portal of the medulla oblongata. This sixth bodily center is located at the back of the neck, at the top of the five chakra spines (Sanskrit word for "wheel" or centers to which life force radiates). The medulla oblongata is the main access point through which the body is fed with the universal life force (AUM) and is directly connected to the human will power, concentrated in the seventh center, or center of the Kutastha consciousness, located in the third eye between the eyebrows'.

"This cosmic energy, which is the same energy with which you were created and everything that exists in the universe, surrounds and permeates all creation, inside and outside, all the time. This energy enters through the mouth of God (the medulla oblongata) and is the invisible Word [AUM], which sustains every form of life. "

Paramahansa Yogananda

Chakra means "wheel" or "vortex"; and are specific points located throughout our subtle energetic body (with correspondence in the physical body) where energy (and consciousness) or "prana" accumulates.

Our energetic body - which is nothing more than a more subtle and invisible form to the physical eye of our material and visible body - contains more than 72,000 "nadis" or subtle  channels through which energy, consciousness, vital force - life itself, or as you prefer to call it. When these "nadis" are blocked, the energy does not flow well and it is when we get sick and psychophysical - spiritual imbalances happen.

The "Nadis" intersect with each other, forming energetic strong points, called "chakras". There are many "chakras" throughout our body, some important in the hands and feet, between one breast and the other and between one ear and the other forming "energetic lines."

The most important chakras that influence the entire energy body are located where the lunar and solar "nadis" are found: Ida and Pingala, which are on the left and right side of the astral vertebral column; passing where the 6 influential and most known energy psychic centers form.

"Ida nadi", the mental channel - "Manas Shakti", located on the left side, moves up on the right side and "Pingala Nadi", the vital solar channel - "Prana Shakti" passes from the right side to the left side,  intersecting on the coccyx (muladhara chakra), sacral (swadhistana chakra), lumbar (manipura chakra), dorsal (anahata chakra), cervical (visshudda chakra), medulla oblongata  e center of the forehead (agya chakra –  ajna chakra).

 

Sahasrara chakra (seventh) and the Aura, have no physical correspondents and are not associated with any particular nadis, but with the entire magnetic, energetic and Conscious field.

When "ida" and "pingala" equilibrate, all the main chakras harmonize and "work" in perfect way - the entire energetic body - and consequently the physical body and mind in connection with the Divine Soul. This is because the central energy channel called "sushumna nadi" activates, awakening the "Maha Prana" - or Great Prana, also known as the Spiritual Energy "Kundalini" - which purifies, heals, and loves everything. Therefore, the "sushumna" is also called "Atma Shakti" - "Atma" means "Soul" or "Consciousness of God, individualized"; and "Shakti" means "Energy of the Divine Mother."

So we can say with certainty that in order to have a life in health from all points of view, to live and to be in well-being and to have True Happiness – to be realized materially and spiritually; the Chakras are very important, we can say: essential, and without these balance, nothing can work well.

 

These are the seven doors of the Paradise of the biblical text - the doors that bring us back to the True House. 

From the inner work of these centers, we recognize ourselves as Free Souls - Individualized Consciousnesses of God that temporarily live in a finite physical body. This realization gives us Joy, Light, Peace and lasting Happiness.

 

MULADHARA CHAKRA 

MULA means root, foundations, MULADHARA, means "the sustenance of the base". It is located in physical correspondence between the anus and the genitals, where the spiritual energy "Kundalini" is called twisted and asleep - making us believe in the cosmic illusion - "Maya", as the only reality - and making us identify with our own body.

Muladhara is the chakra of the earth element, red is its curative color and governs the sense of smell. The corresponding glands of muladhara are the gonads.

Physically it has to do with the bones of the whole body, with the anus and the perineum, and all the lower parts of the body - the legs and feet.

When this chakra is in balance we have physical health, vitality, we are centered in Being, and we have a sense of grounding and balance. It is our nature to be honest (satya) and we have self-confidence and faith in life. Muladhara in balance makes us spontaneously the first 'member' of Patanjali - Yamas (ahima - nonviolence, satya - truth, asteya - not stealing, brahmacharya - moderation in the use of sexual energy and aparigraha - non-greed).

 

When this psychic center is weak we lack stability and feel powerless, specially physically. It may not be easy to find work, for example, or hard to earn enough to live.

 

When muladhara is, let's say, in excess, we are particularly attached to our belongings, to things, to the physical body and to life itself.

This is the chakra of survival, 'belonging' and the right to be here on earth. But it also has to do with the elimination of all that is no longer useful (apana).

 

In this center is located the first granthi (or padlock); where there is the blockage of attachment to matter.

 

The Beej Mantra (mantra semen) of this chakra is "LAM" and as always the "OM" as well. Another effective mantra is "God and I, I and God are one."

 

To balance it we can repeat its Beej mantra mentally, contracting for a few seconds the perineum muscle and visualizing, at this point, a red lotus flower with 4 petals that were previously facing down; and which open upwards. After repeating the mantra and visualizing - be still in the meditative position, looking up between the eyebrows in "Kutashta"; feeling the qualities of "Muladhara", the firmness and immobility of rocks, wisdom and stability.

The typical exercises for Muladhara chakra are standing and balance positions; but also 'pashmottanansa' and the forward stretches, as well as 'Halasana'. Other positions that help re-balance muladhara are also positions sitting on the heels as 'vajrasana' and 'virasana'; and to activate mulabandha (the contraction of the sphincters). The frog pose of 'Kundalini yoga' works muladhara and svadhisthana chakras.

 

The inner vision of this chakra is manifested as a yellow square and the sound one hears is that of a bee or a beetle.

 

Verb: to have, "I have".

 

SVADHISTHANA CHAKRA

Svadhisthana means “sweet” and it is the chakra of fluidity, flexibility, and nurturing; located between the genital organs, in the sacral zone -  this is an energetic point where a lot of our personal karma accumulates and a lot of our feelings are: called “chitta” .

Water is its element, and Orange is its curative color. Svadhisthana  is responsable on the sense of taste. The corresponding glands are the kidneys and adrenals.

Physically it is responsable for the functions of the kidneys, the adrenals, the sexual organs and of the blood and lymph – that is, in all parts of the body where we have liquids in us. 

This chakra has to do with the sexual energy and the couple relationship. It is from this psichic center that comes the capacity of feelings emotions.

When it is balaced, makes us be cheerful and in a good mood with ourselves, accepting us as we are - letting us in the flow of life, without past guilt or future concerns. The second limb of Patanjali - niyamas (saucha - purity, santosha - contentment, tapas - discipline, svadhyaia - study of being and scriptures) and Isvara Pranidhana (surrender to the Lord of the Universe), comes naturally and spontaneous to us.

When it is weak, we may appear frigid, timid, and unresponsive; and have problems with the organs related to this chakra.

When it is in excess, we may want sweets excessively, be overly sexual in language and exhibitionistic behavior.

It is a chakra associated with vyana vayu - this type of prana that manifests itself throughout the circulation of the body. This vital force permeates the whole body, and acts as a reserve of energy, sustaining all other types of 'prana' needing supplementation. It regulates and coordinates all the movements of the other 'pranas'.

The Beej Mantra of this chakra is “VAM” or “OM”.  And also “Narayan” and all its variations. 

To balance it we can repeat its Beej mantra mentally, contracting for a few seconds the muscles of the genital organs and to visualize, at this point, one Orange lotus flower, with 6 petals that before was turning down, but that is opening up. Afetr that, stay still in a meditative position, looking at the third eye, in “Kutashta”; feeling the qualities of “Svadhisthana”, of flexibility,  fluidity and constant movement of the water and transformation. 

 

The yoga exercises for ‘Svadhisthana chakra’ are all the hip openners positions and of flexibility in general; all the stretching and bending foward and all the twists lying down. This chakra balances also through the sitting positions on the floor such as vajrasana e virasana; and activating mulabandha (contraction of the sphincters). The frog pose of Kundalini yoga, Works for muladhara and svadhisthana. 

 

The inner vision of this chakra is manifested as a white half moon and its sound, as of a flute or of many crickets in a forest at night.

Verb: to feel, "I feel".

 

 

 

 

MANIPURA CHAKRA

MANIPURA means "the city of jewels". It is located in physical correspondence behind the navel, the lumbar spine and the solar plexus.

Manipura is the chakra of fire element, yellow is its curative color and the sense of sight. The corresponding gland is the pancreas.

Physically has to do with the muscles of the whole body, the abdomen and all the digestive organs.

When this chakra is in balance we have a lot of energy and resistance, we are focused and with immense will power, we have greater facility to discipline and a great self esteem as well as esteem to others. It comes to us natural and spontaneous the practice of the third limb of Patanjali - the yogic psycho-physical positions – known as asana.

When this center is weak we feel easily manipulated and weaker (in our personality). It is possible that we don't find the energy to act on the plans that we had and we have little success in life.

When it is in excess, we are particularly powerful over others with tendencies to manipulate those who are weaker. Our ego and sense of importance increases. We may even be people of strength, success and exuberance, but we do not easily recognize the value of others: we lack humility.

It is the chakra of force, energy, transformation, discipline (tapas) and assimilation (samana vayu).

The Beej Mantra (mantra seed) of this chakra is the Mantra "RAM" and always the "OM". But also the mantra "Har" and its variations

To balance it we can repeat its Beej mantra mentally, contracting for a few seconds the muscles of the abdomen, and visualize at that point a yellow lotus flower with 10 petals that was faced down but turned upwards, opening. After that, stay still in a meditative position with the spine straight, looking between the eyebrows in "Kutashta"; feeling the qualities of "Manipura", of the power, brilliance, of the warrior of the Light and the transformation.

The typical yoga exercises of Manipura chakra are all positions that strengthen the abdominals such as the boat position (navasana), the positions of strength for the arms (which always also involve the abdominal muscles and the lower lumbar spine) and all the forward bendings. Also, exercises like Uddiyana Bandha (retraction of the abdomen at empty lungs) and dynamic breaths like kapalabhati or "breath of fire" can help awaken the energy of the first chakras through the fire of manipura.

 

The inner vision of this chakra manifests as a red triangle and its sound is like the sound of a harp.

 

Verb: To can, "I can".

 

 

 

 

ANAHATA CHAKRA 

ANAHATA means "sound not produced," because when we focus on this center, we can feel a subtle vibration and hear the sound of the "Aum" mantra called "anahat naad." It is located in physical correspondence at the point between the shoulder blades and it is also called "the heart chakra".

Anahata is the chakra of the air element, its curative color is emerald green and it is of the sense of touch. The corresponding gland is the thymus.

In this 'wheel' (and in Manipura) is located Vishnu Granthi - the lock and knot of attachment to the emotions and the relations of affection.

Physically it has to do with the dorsal vertebrae and the upper back, the shoulder blades, the shoulders, the arms and the hands; with the heart and the lungs.

When this chakra is in balance we have a deep and complete breath, the heart, lungs and upper body is in perfect health and in a balanced state. We have a sense of calm and peace, patience; greater facility of forgiveness and equanimity to the less virtuous people. We have a sense of compassion for the less fortunate people and are happy with the happiness of others - recognizing that everyone and everything are our reflection. We have a sense of friendship for everyone! Unconditional Love comes to us as well as a natural and unselfish service: to give without expectation, in a sense of total humility and joy. We are devotional and easy to 'bow reverentially'. The fourth limb of Patanjali, the "Pranayama" - control and expansion of prana - or life energy comes spontaneously and naturally.

When this psychic center is weak we  tend to be close to love and to share, with difficulty giving and also receiving, physically the shoulders close foward and we feel a sense of 'refusing the other'.

When it is in excess, we are particularly open, and without any discernment, we give ourselves completely. And if we are hurt, we feel an overly strong suffering because we are not detached, but completely involved and identified with the emotions. We are hyper-sensitive - and these exaggerated ups and downs provoke unbalanced energetically and spiritually.

This is the chakra that goes beyond the divisions, towards the ever subtler. Anahata is the center of Love, compassion, forgiveness and humble service without expectations (karma yoga). The center of generosity, as well as of kindness.This center is of inspiration, of giving and receiving, of energy of absorption, that crystallizes (prana vayu).

The Beej Mantra (seed mantra) of this chakra is the Mantra “YAM” and as Always: “OM”. Another mantra that also purifies anahata, is the Mantra “Om namah Shivaya” and “Ra Ma Da Sa”. Those open the heart and heal it.

To balance it  we can repeat his Beej mantra mentally, by contracting for a few seconds the point between the shoulder blades and visualizing at that point a green lotus flower with 12 petals that were facing downwards; but that open upwards. After that, stand still in a meditative position, with the eyebrows in "Kutashta"; feeling the qualities of "Anahata," the ability to give, to see in the other - yourself. The ability to love purely without asking anything in return.

The typical yoga exercises of Anahata chakra are the positions to opening the thorax and all the backbending. Also the positions where we use the arms and the dorsal vertebrae as well as all the exercises of "pranayama" or "breath/energy control", especially those made with the long and deep breathing. Also all positions where we lift the legs are very good for the physical heart and the circulation. All devotional chants open anahata chakra - the devotion and the natural love of the heart, so necessary to enter the superconsciousness or samadhi - Yoga state of Union in the Divine, as it says the Great Master Swami Sri Yukteswar.

The inner vision of this chakra is manifested as a blue sphere and the sound one hears is that of so many bells together or that of a gong.

Verb: To love, "I love."

 

 

 

 

 

 

VISSHUDDHA CHAKRA

VISSHUDDHA means “the pure” . Here, in this chakra, it starts a certain elevation of energy, and we are already in a deep state of purification. It is located in physical correspondence in the throat and behind the throat in the cervical vertebrae.

Visshuddha is the chakra of the ether and space element, of emptiness, of the sense of healing and its healing color is turkish light blue. The corresponding glands are the thyroid and parathyroid glands.

Physically it has to do with the throat, the vocal cords, the cervical vertebrae and the neck, as well as the clavicles, the chest and the arms.

When this chakra is in balance we have a great freedom to express the Divine creativity of our True Selves. Its balance makes us feel our inner guide - this is the teacher's chakra. It makes us have a healthy capacity to communicate and speak what is right, at the perfect moment and gives us the gift to listen to the others and to perceive the messages beyond words and gestures. It becomes spontaneous and natural to us the fifth limb of Patanjali - Pratyahara, the withdrawal of the senses from the outside in. 

When this psychic center is weaker, our words become blocked, we feel small, timid and incapable. Hypothyroidism and laziness can be developed, for example.

When it is in excess, we are particularly active, we talk a lot and the projects are so many, we lose the capacity to say "no" to people and work, we are always available and we can develop hyperthyroidism and hyper activity.

This is the chakra of calmness, expansion, and creativity. We can say that the "prana vayu" related to the fifth chakra is `udana vayu' - this vital force regulates our expressive organs: the legs, the arms and the head. 

The Beej Mantra (seed mantra) of this chakra is the Mantra "HAM" and as always the "OM". Other Mantras that work visshudha are "ek ong kar sa ta na ma siri wa (uh) there is guroo", for example.

To balance this chakra, we can repeat its Beej mantra mentally, contracting for a few seconds the muscle of the throat, and visualizing at this point a blue lotus flower with 16 petals that was turned down; but which opens upwards. After that, we stay in a meditative position, gazing between the eyebrows in "Kutashta"; feeling the qualities of "Visshuddha": lightness, expansion, purification, Truth and communication. 

It is the chakra of pure and creative expression of the soul. 

This center, when in balance, makes us say clearly what is necessary and listen to others with attention. It is also from visshuddha that we develop the quality of calming and sensitivity to the more subtler energy.

The typical yoga exercises of Visshuddha chakra are the shoulder stand position called "sarvangasana", and all its variations; and all positions and exercises that close or open the throat - like "matsyasana", the fish pose. The exercises where we move head and shoulders are good for this energy center, as well as the recitation of mantras in general and the action of teaching - by itself - balances visshuddha chakra.

The inner vision of this chakra is manifested as tiny sparks of light with the smoky background and the sound we hear is that of the wind that passes between the trees or the sound of the ocean.

Verb: To communicate, "I communicate" or To create "I create"

 

AJNA CHAKRA

AJNA means "to perceive, to command". It is located in physical correspondence in two points, considered the negative pole and the positive pole: the medulla oblongata (negative pole and where the ego dwells) and the point between the eyebrows (positive pole and where the soul lives, or True Being).

Ajna is the chakra that goes beyond the elements and is where the Christ or Krishna consciousness dwells, hidden in creation. This chakra healing color is purple and is the center of the spiritual vision and extra sensory powers. The gland corresponding to ajna chakra is the pituitary.

In this center (together with vissuddha) is located the Rudra Granthi - the knot of attachment to visions and spiritual powers.

Physically it has to do with the head, the ear and the eyes, above all.

When this chakra is in balance we have the ability to see and feel beyond words, actions and matter. Its balance makes us intelligent and sensitive, we have faith and a healthy detachment from all that is impermanent. We develop a great discernment of our True Nature and the knowledge given by the inner experience of not being the body or the mind or the personality, but of being infinite souls that temporarily dwell in a dense body and that temporarily uses a mind. Thus we can relate to and in the world in a balanced way, but without being dependents of it to our happiness. With the balance of ajna comes the spontaneous sixth limb of Patanjali: "Dharana" - the firm and immobile concentration at one point in God; and leads us naturally to "Dhyana" or meditation, the seventh limb of Patanjali.

When this psychic center is weak we become confused and judgmental. We may be full of doubts and skeptics about everything that has to do with spirituality and the subtle world. We may have little memory, little desire to learn, and the intellect does not work to its fullest. With this energy center with little stimulation, it can give us the tendency to bipolarism, depression and other psychological problems.

 

When this center works in excess, we may have the tendency to hyper-intellectualism, to speculation about everything that has to do with the spiritual quest. We may even be sincerely interested in Divine Wisdom, but at the same time we can transform it into what Master Yogananda called the "shoppers" -that is, those devotees of various paths of Truth, but never deepening anyone of them.

Ajna chakra has two poles (as indeed all chakras); but in ajna this detail is very important because the spinal bulb (the back of the neck, the concave point behind the head) represents the ego, or the consciousness identified with the body and the senses - on the other side; the spiritual eye, between the eyebrows, represents the eye of Shiva, that is, of the deep and true Being, the aspect of the Divine that destroys all ignorances and observes everything from above, with detachment and Love at the same time. This is then the chakra of inner vision, of True Knowledge that goes beyond the intellect, giving us a deep spiritual experience.

 

The Beej Mantra (mantra seed) of this chakra is the "OM" Mantra. Also all the mantras for Shiva and in Kundalini Yoga: "Sa Ta Na Ma" and "Ajai Alai".

 

To balance it we can repeat your Beej mantra mentally, frowning the forehead slightly for a few seconds and visualizing, at the point between the eyebrow, an indigo-colored lotus flower (lilac) with 2 petals representing the non-duality. Let's visualize this flower opening up. After visualizing, we stay still in the meditative position, keeping the gazing in "Kutashta", or the third eye; feeling the qualities of "Ajna": the opening to the unknown, to the faith, to the mental vision of the invisible and to the development of extra-sensorial sensibility.

 

The typical yoga exercises of Ajna Chakra are "Shambavi Mudra" - the gesture of Shiva, that is, to stare into the spiritual eye; long and deep breaths and all types of meditations with or without mantra. Also all inverted positions like the downward dog position (Adho Mukha Svanasana), the candle position (sarvangasana); and all positions that the forehead rest on the floor as the child's position (balasana), or the pigeon position (eka pada rajakapotasana).

The inner vision of this chakra comes manifested with a marvelous golden ring, inside this ring, there is an intesive dark blue color; and in the middle of this 'blue sky', a bright white five-pointed star.

Verb: To see, "I see"

 

 

 

 

 

SAHASRARA CHAKRA 

SAHASRARA means "many thousands of times per thousand" and is known as the crown chakra, "the thousand petals chakra" because from it, comes the thousand "nadis" or subtle channels (which meet with the 72 that begin at the point of the navel, forming 72 thousand nadis throughout the body). This chakra is located in physical correspondence to the top of the head and when released and opened it gives us a sense of protection and acceptance of the Higher Self in the Supreme Being.

Sahasrara is a wheel beyond the elements and beyond the outer senses; it is possible to perceive it from a very high state of consciousness and total non-identification with matter. Its curative color: purple or white. The corresponding gland is the epiphysis.

Physically it has to do with the top of the head, with the nervous system and the intellectual mind and beyond.

When this chakra is in balance we are calm and discerning, we are able to channelize the Divine and we identify ourselves with Him, recognizing to be part of It. Sahasrara in balance also means good memory, creativity, and expansion of consciousness. It comes spontaneous to us to meditate (dhyana) and the last limb of Patanjali: Samadhi - Union with and in God; immersion in the One True Self.

When this psychic center is weak, we lack mental stability and we feel confused. We may feel tired and lazy, without energy ... We may also have very serious mental health problems such as schizophrenia and severe depression.

When it is in excess, we are particularly agitated and without connection to our physical body.

 

This is the chakra of the Divine Union, of the mental opening and the expansion of Consciousness. Of the recognition of Being One in the Cosmic Being and of feeling part of all beings.

The Beej Mantra (mantra seed) of this chakra is the Mantra "AUM" and also the "Wahe Guru" - but this chakra actually goes beyond the vibrations.

To balance it, we can repeat its Beej mantra mentally, concentrating on the top of the head, visualizing, at this point, a white or purple lotus flower with a thousand petals that open upwards and in each direction. After that, we stay still in a meditative position, looking between the eyebrows in "Kutashta" and on the top of the head, feeling the qualities of Sahasrara: of the Union with the Whole and with all, of the expansion of Consciousness, of living in the Cosmic Intelligence and from It, of Wisdom and ecstasy.

 

The typical yoga exercises of Sahasrara chakra are the reversed positions such as sirsasana (head position), Adho Mukha svanasana (the downward dog position) and samsangasana (the bunny position); all exercises with arms up and all meditation, of any kind, bringing us to the transcedental meditation - the Real meditative state.

 

Its Inner vision is beyond visions; it is pure and empty.

Verb: To be, "I am."

The Aura – (or the eighth chakra, according to Kundalini yoga)  

What forms our magnetic field is called: AURA. That involves the whole body, and so we can say that it "contains" all the chakras in it.

When the aura is weak we are particularly influenced by the outside world, the outside environment and by others and not by the Divine deep will. We get sick more easily and are have more easily nervous breakdowns.

When it is in balance, we are secure in our Divine Nature, we are free souls or "Jivamukti" and able to influence positively the external environment, others and situations that come into our lives from a state of Grace of God. Everything flows and heals easily.

Among the exercises that strengthen the aura, we can mention: the energization exercises by Yogananda (which you can see full on the "video page" of this site), all exercises of Kundalini Yoga and Kriya Yoga, deep meditation, mantras and sacred prayers.

An interesting visualization for the aura is to see inwardly a golden ball of white light that surrounds everything that exists and expands it by welcoming each being in this ball of Light.

Also, having some eventually fasting (with supervision), and purifying the body with health and light food helps keep the aura in a state of strong positive vibration.

MEDITATION ON THE CHAKRAS

START WITH THE STRAIGHT SPINE AND THE CLOSED EYES LOOKING IN, BETWEEN THE EYEBROWS, THE CHIN SLIGHTLY IN, THE SHOULDERS OPEN AND RELAXED AND ALL THE BODY RELAXED DEEPLY. YOU CAN BE SITTING ON THE GROUND IN A MEDITATION PILLOW, WITH THE CROSSED LEGS, OR IN A CHAIR, AS YOU PREFER.

MAKE AN INITIAL PRAYER, AS IT COMES TO YOU, SPONTANEOULY: FOR EXAMPLE, VISUALIZING THE MASTERS OF THE TRADITION OF KRIYA YOGA, OR OTHER MASTERS THAT YOU FEEL IN SINTONY, OR SIMPLY OPENING YOUR HEART AND YOUR MIND TO THE MASTER AND INNER GUIDE WITHIN, FEEL GOD AND THE COSMIC CONSCIOUSNESS AS YOU FEEL CLOSER TO YOU. 

 

KEEPING THE GAZING AT THE POINT BETWEEN THE EYEBROWS, OBSERVING THE NATURAL BREATH FROM THE NOSE, START FEELING AND VISUALIZING AN ENERGY THAT PASSES THROUGH MULADHARA TO AJNA CHAKRA, IN EVERY INHALATION AND THROUGH AJNA CHAKRA TO MULADHARA ON EVERY EXPIRATION.

 

AFTER SOME BREATHS, CONCENTRATES IN MULADHARA AND CONTRACT IT FOR A FEW SECONDS THE PERINEUM MUSCLE, THEN RELAX IT AND VIBRATES SILENTLY "OM" MAKING THIS MANTRA PULSING IN THIS ENERGY CENTER. 

OBSERVE, FIXING THE SPIRITUAL EYE.

GO WITH YOUR ATTENTION NOW ON SVADHISTANA,  CONTRACTING THE GENITAL ORGANS AND MENTALLY VIBRATING "OM" AS PRIOR, AND THEN FIXING THE THIRD EYE AND FEELING WHAT HAPPENS.

 

GO THEN TO MANIPURA, CONTRACTING THE ABDOMEN AND ALWAYS REPETING "OM" AND FEELING IT THROUGH SHIVA'S EYE - OR THRID EYE.

CONTRACT THEN THE POINT BETWEEN THE SHOULDER BLADES IN ANAHATA AND ALWAYS THE SAME CONCENTRATION PROCESS AFTERWARDS, WITH THE "OM" VIBRATION AND FEELING IT.

 

CONTRACT NOW THE THROAT. SING "OM" MENTALLY AND KEEPING SHAMBAVI MUDRA (CONCENTRATION IN THE SPIRITUAL EYE), FEEL THE CHAKRA AND SENSATIONS.

 

THEN, STRONGLY CONTRACTED THE CENTER OF THE FOREHEAD AND VIBRATE "OM" MENTALLY IN THIS CENTER. 

STAY THERE, FEELING THE "OM" VIBRATING ALSO IN THE TOP OF THE HEAD AND IN EVERY CELL, MAKES IT EXPANDS MORE AND MORE IN A VIBRATION ALWAYS MORE POWERFUL OF LIGHT.

 

STAY THEN, FOR A FEW MINUTES IN SILENCE AND FEELING TO BE PART OF THE PRIMORDIAL VIBRATION OF LOVE.

COMPLETE THE MEDITATION WITH A UNIVERSAL PRAYER, OR SINGING OUT ALOUD AT LEAST 3 LONG "OMs", WISHING THE SUPREME GOOD, THE LOVE, THE PROSPERITY, THE JOY, THE HEALTH AND THE FULL REALIZATION FOR ALL BEINGS.

With infinite Love, Raquel

premakriyayoga.it.br@gmail.com

www.premakriyayoga.com.br

Show More

Siga

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle